terça-feira

O Centauro e o Escorpião.





Alexandre, o rei, tronou-se e tornou-se flor.
Semeou: sóis, luas, ventanias, tempestades.

Já o Alexandre príncipe, preferiu ser deserto, e continua misterioso

para quem não arrisca a queimar-se em seu solo sagrado.

O rei, 

disse que se alguém vai, que vá para aprender
que se encontre,
enquanto se perde...

O príncipe,

fez mais de uma promessa,
e nunca as cumpriu
não disse porque
nem desdisse

hoje há uma rainha no jardim

onde Aleteia, a pequena escultura
sinaliza que
aqui se ama, aqui se purifica

no castelo, há regras para não serem cumpridas

a coroa, nem de ouro, nem de prata
sinaliza que
há tinta, vento e verso
arquitetando e sustentando
a (r)existência

então Alexandre

o rei centauro
e o príncipe escorpião
tronam-se um só
e tornam-se
um capítulo (1)'nico: nada mais útil do que o silêncio

Aleteia observa atenta

os heróis desatentos da constelação...

Nenhum comentário:

Postar um comentário