domingo

Batman


Eu o batizo Batman, em nome do silêncio, do conflito e da máscara.

Chamei-o de Batman. Ele atendeu.
Virou seu rosto em direção ao meu
E sacudiu a capa longa e preta, em total silêncio.

Encarei seus olhos e disse a frase perturbadora: você se enganou Batman.
Ele então, tira a máscara e joga contra mim. Seguro-a de prontidão e caminho até ele, devolvendo o que lhe pertence. Conflito.

Retomo meu passo. Sem medo.

Encontro com Freud, digo: adeus, Freud.
E não me explico.

Acordo e me espreguiço.

Batman, herói desatento, se salvou do retrato falado
decorou a bat-caverna
e abriu um bar chamado "bat-papo"

Reencontro com Freud, digo: Olá Freud.
E ele não me explica

Durmo.

Acordo e me espreguiço.

Retomo meu passo. Sem medo.

https://www.youtube.com/watch?v=MVJE7jnBo7c