sábado

Sob o sol...

Subi numa pedra perto da estrada.
Estava muito calor, então peguei a garrafa de água e me refresquei jogando a água no rosto e pescoço cantarolando minha música favorita (deste momento)
Olhei ao redor. Nada. Ninguém.

Abri a bolsa, tirei uma caneta e papel e comecei a escrever um poema.
Era prá alguém que me fez feliz e triste na mesma proporção.
Apaixono-me por homens que depois viram poemas incríveis ou idiotas e doloridos também, ás vezes divertidos...

Depois de escrever o poema deitei na pedra, fechei os olhos, relembrei, sorri.

A poesia resolve momentos só seus...

Nenhum comentário:

Postar um comentário