domingo

Ana Paula


Seu nome: Ana Paula. 
Idade: 28 anos. 
Cortadora de cana e portadora de HIV.

Me parou  pedindo que lhe pagasse um lanche.

Eu vi mais do que fome em seus olhos. 
Paguei o lanche com os dez conto que o cara da delegacia me deu, comovido com minha pindaíba de fim de ano pós-assalto
Único dinheiro. Bem gasto...

Enquanto ela comia, ouvia sua história.
Pensava na minha e porque eu a encontrei em meu caminho hoje, justo hoje, que tudo está meio gris: o céu, meu coração e o mundo inteiro acho.
Mas falava com ela e sentia uma energia tão positiva que...
Ana Paula.

Nunca mais esquecerei seus olhos famintos.
Nunca mais esquecerei suas palavras.

Ela veio me ensinar que a vida não pára de ensinar...

quinta-feira

No meio do livro

No meio do livro
Tinha um verso
Tinha um verso no meio do livro tinha um verso.
Nunca me cansarei de lê-lo e relembrá-lo
Na minha caótica memória
De minha indelével paixão que
No meio do livro tinha um verso
Que tinha um verso no meio do livro

E era tão bom
E era Drummond...

sexta-feira

A quatro mãos

[Com Vera Brito]

Eu vivo sonhando com uma vida diferente
E tento fugir da realidade, sendo coerente
Mas a vida é um sonho que precisa ser vivido
E o maior de todos eles é ficar de bem comigo
E tenho certeza que um dia eu consigo...
Por aí afora eu vou aprendendo
Que de toda dor se tira uma lição
E lição, é sabedoria, receita prá ser feliz
Afinal, todo mestre um dia foi aprendiz
E assim me sinto a alma boa que tanta gente diz
É com essa alegria e esperança,
Que vou vivendo como criança
Esse sonho colorido, eu mesma pintei á mão
Esse e todos os outros, continuam no meu coração
A minha tinta é de esperança, fé e imaginação...



sábado

Sob o sol...

Subi numa pedra perto da estrada.
Estava muito calor, então peguei a garrafa de água e me refresquei jogando a água no rosto e pescoço cantarolando minha música favorita (deste momento)
Olhei ao redor. Nada. Ninguém.

Abri a bolsa, tirei uma caneta e papel e comecei a escrever um poema.
Era prá alguém que me fez feliz e triste na mesma proporção.
Apaixono-me por homens que depois viram poemas incríveis ou idiotas e doloridos também, ás vezes divertidos...

Depois de escrever o poema deitei na pedra, fechei os olhos, relembrei, sorri.

A poesia resolve momentos só seus...

terça-feira

Alguém da família

Ela, na adolescência, se não falha a memória de quem contou-me esta história, andava tranquila pela rua com aquele cabelo vistoso, preto e brilhante e uma cor de pele bonita e sensual. 

Assim deve ter achado o sujeito que passou por ela, pois sem medir consequências, nem palavras, disse em alto e bom som: TESÃO!

Ela, imediatamente avermelhou-se de vergonha, raiva e indignação.

Estacou, virou-se e com o dedo em riste disse também em alto e bom som: ME RESPEITA VIU, TESÃO É VOCÊ!


sábado

Música é vida!

Para viver e guardar prá sempre uma história...

 Construção (Chico Buarque)
 Bom Crioulo (Itamar Assumpção)
 Chover (Cordel do Fogo encantado)
 O canto das três raças (Clara Nunes)

 Saudosa Maloca (Adoniran Barbosa)
 Lenda das sereias (Marisa Monte)
 Xote das meninas (Luiz Gonzaga)

 Aquarela Brasileira (com Fernanda Abreu)
 Sem fantasia (Chico Buarque e Maria Bethânia)

 Canto de Ossanha (Elis Regina)
 I  feel good (James Brown)
 Nattura (Bjork)
 Black (Pearl Jam)

 Advice for the young hearth (Tears for Fears)
 Smooth (Santana)
 Ai, Mouraria (Amália Rodrigues)

 O Pastor (Madredeus)
 Billie Jean (Michael Jackson)
 Twist and shout (Beatles)
 Freedom (George Michael)


quinta-feira

Cansaço...


Escute amor,
As palavras que o vento te leva
O amor que te sinto hoje
Não é mais de sobra

É de reserva...

segunda-feira

Monossilábica


Adormeço
Evito
Manipulo
Contesto
Acredito
Ofereço
Distancio
Fujo
Caio
Entrego

Assumo
Proponho
Desvio
Escrevo
Remeto
Rasgo
Guardo
Sofro
Espero
Caminho
Descubro
Detenho
Perco
Esbarro
Cometo
Naufrago
Discuto
Obedeço
Leio
Desdenho
Visito
Componho
Canso

Diminuo
Amo


Continuo...

quinta-feira

Sonhando...

“se o mundo é mesmo parecido com o que vejo, prefiro acreditar no mundo do meu jeito... Que você está me esperando voar, mas como chegar até as nuvens com os pés no chão?”


Sonhando...


O mundo é um engolidor de sonhos...

Onde será que os sonhos são vomitados?
E depois de postos prá fora, ainda são sonhos?
Será que foi por isso que um dia alguém disse que o mundo era cruel?
Os sonhos são alimentos para continuarmos aqui, sem desistir...

Por isso eu amo aquela música...

quarta-feira

Escalas

Escalas da experiência 


Do nostálgico á clausura
Da dor ao suspiro
Do suspiro ao grito
Da ignorância á evolução
Da falta ao excesso
Do desgaste á abundância
Do lamento á resignação
Da fúria ao moroso
Da paixão á renúncia
Do solene ao ostracismo
Da mágoa á condenação
Do prazer á saudade
Da saudade ás lágrimas
E do amor ao amor
Sempre de volta ao amor...

segunda-feira

Na Virada Cultural

No meio da bagunça não é que pinta um poema?

Eu vi maçãs no corpo da bailarina
Vi um pomar inteiro
Vi formas e cores
Alimentando meu espírito...
Eu vi equações no corpo do bailarino
Vi recortes e rupturas
Vi e entendi a geometria
Combinada com essência...
Os saltos me levaram prá perto
A música me levou prá longe
Eu vi uma selva de gente caindo
De gente dançando prá vida e prá morte
De gente dançando prá todo mundo
Prá mim que levei a sério
Pro outro que tava passando
E esperou um pouco prá entender a poesia do movimento...
Eu vi a arte do corpo acontecendo
Músculo e suor
Quanta beleza!
E o tema da natureza pulsando
Os animais que são fortes
São os mais lindos e intrigantes...
Homem que some na coxia do palco
Mulher que sobrevoa o chão de linóleo
Os animais mais lindos daquela noite...

Poema retrátil para a coreografia “O animal mais forte do mundo” da Cia Ângelo Madureira e Ana Catarina Vieira.


sexta-feira

Para a posteridade

Já que o tempo voa, eu quero que ele me leve em suas asas coloridas e me faça ter sonhos de criança...


Amo com todos os meus nós... de garganta e de coração...

Esse mundo é louco e divertido

E eu sou um grãozinho...
Grãozinho...


Eu vou virar estrela e vou brilhar 

Incandescente e esquecida na galáxia.
E é só.

Já que o tempo voa... Eu quero voar e sentir as asas da liberdade sem fim...

segunda-feira

Histórias de Mam...

"...O tempo não pára e no entanto ele nunca envelhece..." (Caetano Veloso)



Ela me contou que queria ser freira!

“Eu encanei que queria ser freira, achava lindo, achava que era alguém acima de nós, especial, diferente, superior... Ficava olhando durante as aulas as maneiras da professora, se ela tinha dentes como eu, se ela tinha ossos como eu, se a pele dela era diferente da minha...”


Ela pegou a toalha de rosto do banheiro e colocou na cabeça, imitando o véu das freiras, e disse que fazia isso no quarto o tempo todo...

Rezava e ia sozinha á missa. 
Se matriculou na catequese sozinha e frequentou todas as aulas sem contar nada á avó, a Dona Júlia, que ficou encantada quando soube que até mandou fazer vestido e véu...


Depois ela desencanou...

E sua história continuou até chegar aqui, na minha.

quarta-feira

Olhar o alheio...

A moça sentada á minha frente está inquieta.
Coloca a mão na boca, olha prá cima, enrubesce, engole saliva.
Estamos num largo sofá...

Confortavelmente acomodadas, uma de frente para a outra, ela em um, eu em outro. na mesma direção.

Ela parece nem notar minha presença.No entanto eu a noto porque todos os seus poros estão eletrizando o ar...

Ela procura disfarçar, mas eu sei e vejo, percebo cada gesto seu:
Ela está desabando por dentro...
Quer chorar, quer gritar, quer enlouquecer...!
Mas estamos num lugar público. Ela contém-se.

Consigo perceber isso
Sei que ela está sofrendo tanto quanto eu.
Agora chegaram outras pessoas.
Esse sofá fica aqui no saguão dum Sesc.
Eu vim assistir um espetáculo, ela não sei, porque se levantou e está indo embora.
Toda cabisbaixa, triste, os olhos voltados para o chão.

E o sofá agora vazio...

A moça foi embora.
Prá onde?

E não vou mais ver a moça.
Ela foi embora... 
Prá onde?

sábado

Aprendiz

E prá que achar?
Se o que importa é procurar, e procurar...
Achar é a consequência.

E prá que parar?
Se a morte vem sempre atrás?
E "prá sempre" e "nunca mais"
É muito tempo rapaz!


E prá que estou aqui?
Alguém já me falou: é prá aprender a viver e ser mais do que eu sou...


E prá que é que se ama tanto assim?